Seja grato!

Você é uma pessoa grata ou ingrata? Dificilmente vamos encontrar alguém que reconheça essa falta. Aliás, alguns defeitos são como mau hálito, todos estão sentindo menos o dono. Se fizéssemos uma enquete nas ruas sobre esse assunto, provavelmente, a maior parte das pessoas diria que é uma pessoa grata.

Mas quando “a coisa é valendo”, parece que não é bem assim. Poderíamos comparar essa realidade à sensação térmica em dias de frio. O termômetro marca certo grau; mas a sensação térmica é bem inferior à informada.

Porém nem sempre foi assim. Sou do tempo em que as pessoas quando pediam um pó de café emprestado, por exemplo, devolviam o copo cheio até o topo e o pó ainda vinha recalcado, transbordando. Essa era uma forma de demonstrar gratidão ao vizinho.

Uma pessoa grata é aquela que sabe construir pontes e não muros. Quem constrói pontes por onde passa, deixa o caminho aberto para quando precisar voltar. Isso é gratidão.
Por exemplo, será que podemos voltar ao nosso (s) antigos (s) local (is) de trabalho? Se construímos pontes nesse (s) local (is), certamente seremos abraçados na chegada.

Como você demonstra sua gratidão pelas pessoas? Existem várias formas de expressar esse sentimento. Alguns dão presentes; outros se fazem presente, demonstrando fidelidade, honra, dedicação, lealdade. Encontre a sua forma de mostrar gratidão; mas não deixe nunca de demonstrar, pois a ingratidão traz sérias consequências negativas.

Gratidão, no Grego é “eucharistia”, que significa “ações de graças”. Isso nos faz lembrar a figura de Cristo. E se tem alguém a quem devemos ser gratos é a Ele. Deus Pai entregou seu único Filho para morrer no nosso lugar, para que hoje tivéssemos uma vida abençoada. Ele pagou um alto preço por nós.

Mas como podemos ser gratos a Ele e retribuir tudo o que Ele fez por nós? Essa é uma boa pergunta. Primeiro precisamos entender o sentimento de Deus quando não somos gratos a Ele. Há uma história na Bíblia que ilustra muito bem esse sentimento e também as consequências da ingratidão.

Certa vez, o Senhor pediu para um homem chamado Oséias casar-se com uma prostituta para sentir na pele o que Ele sentia em relação à ingratidão e infidelidade do seu povo. Aquele homem sofreu muito naquele casamento, pois não havia fidelidade no relacionamento. Aquela mulher nunca priorizava seu marido. Os beijos e os momentos íntimos eram divididos com vários outros homens. Tudo o que Oseias fazia era retribuído com descaso ou ingratidão.

Depois dessa experiência, Oséias passou a exortar o povo: “O Senhor Deus tem uma acusação a fazer contra o povo que vive neste país. Escutem, israelitas, o que Deus está dizendo: — Não há sinceridade, não há bondade, e ninguém neste país quer saber de Deus. Juram falso, mentem, matam, roubam e cometem adultério. Os crimes e os assassinatos aumentam. Por isso, a terra ficará seca, e tudo o que vive nela morrerá. Morrerão os animais, as aves e até os peixes” (Oséias 4.1-3).

Com base nessa história e em outras passagens bíblicas, o Senhor deixou para nós o modelo do resultado que colhe uma pessoa ingrata. O resultado é sempre sequidão. Quem não oferece “ações de graças” terá uma vida sem graça.

Porém quando entendemos esse princípio e passamos a praticar, a consequência é a vitória. Jesus inaugurou o céu com um ladrão arrependido, que reconheceu e agradeceu ao sacrifício da cruz. A consequência da sua escolha foi automática: herdou o paraíso!
Faça escolhas certas não só nesse ano de 2018, escolha sempre o caminho da gratidão. Seja grato, primeiramente, a Deus e promova as pessoas ao seu redor com ações de graças! Deus te recompensará.

Deus te abençoe.

Pastor Marcos Orati.

Compartilhe:
CategoryArtigos
Redes Sociais: